E a vida continua…

Coisas lindas que escrevi no livro RE-VERSOS hoje tocam-me profundamente:

Já abri meu coração aos homens tantas vezes que coleciono cicatrizes de traços que enfeitam meus desencontros com laços. Hoje, aprendi a me expor por amor sem me fazer aos pedaços. (LAÇOS DE FITA).

Depois de tantos experimentos de amor, de colecionar relacionamentos sem valor, percebi que meu coração do ego ficou em algum lugar do passado, largado.

Pelo menos minha ilusão, sonhos impossíveis, desejos de perfeição.

Sempre procurei minha alma gêmea para sentir-me uma fêmea.

A cada um entreguei coração, corpo e alma. E restaram traumas.

Busquei ser completada, muito amada.

Alaguei lençóis em lágrimas, e afoguei travesseiros em mágoas.

Finalmente hoje me transformo em novo ente. A toalha no chão contente.

Depois de muito chorar, minhas lágrimas se transformam em mar aí, cansada, pude me calar, aquietar e me refrescar. (REFRESCAR).

Percebi que sou gêmea de mim mesma. Com certeza.

Busquei longe o que me contém. Não convém.

Hoje me conheço, me completo, me pertenço.

Sou feliz. Não estou só. Tenho a mim mesma.

E Deus está presente, de presente.

Registro experiências de amor. Busco aprender, perdoar e crescer.

Busco ainda todas as oportunidades de viver e, livre, procuro me doar inteiramente á vida e agradecer…

Á cada instante busco esvaziar-me para encher-me de desejos, simplificar para me aprimorar. Busco SABER VIVER, reconhecer e me ver, ser humilde, aprender e crescer e levar a vida a agradecer…

Quero EXISTIR, quero ter no meu presente sempre um presente eterno, sair por aí desplissadamente, me doar, sonhar, viver o agora e amar desesperadamente…

Ainda encantada pelo ego, reflito a luz que ilumina minha alma, mas BUSCO a calma e a paz da minha forma original que habita o meu interior e almejo crescer para alcançar o amor do meu Ser.

Hoje decidi buscar novos sonhos, abandonar meus limites e deixar acontecer, abrir meu coração e me entregar á experiência de amor que é VIVER.

Sou filha do deserto. Na areia hausto o vento que apaga as pegadas dos desacertos e faz nascerem novos caminhos, sem marcas. Que bom que também posso mimetizar e a cada momento me tornar nova e diferente ao sopro do vento… (RECOMEÇAR).

Eu lhe proponho nos entregarmos a belos momentos, dançar, sorrir, cantar com sentimentos e vibrar de amor com encantamento. Sem nada esperar ou cobrar, apenas viver intensamente o presente e acreditar que a felicidade está presente. (PROPOSTA).

Texto do livro “SENIBILIDADE”

Dra. Dulcinea Mattar: Cirurgiã Dentista, professora, escritora. Membro da Academia Mineira de Odontologia cad. nº 03. Proprietária e dirigente do Hotel Geriátrico Residencial Harmonia. www.residencialharmoniabh.com.br. 33320828. [email protected] 997989399.

Facebook Comments

Post a comment