Não compre gato por lebre

Após um evento como arrombamento ou assalto em comércio ou residência, na maioria das vezes, sentimos a necessidade de investir em segurança eletrônica. São poucas as pessoas que pensam neste segmento ao construir, adquirir ou alugar um imóvel.

Quando surge a necessidade da instalação dos equipamentos algumas pessoas recorrem a anúncios em jornais, internet e indicação de pessoas conhecidas.

Você já parou para pensar nos riscos que envolvem a contratação de um profissional de segurança eletrônica?  O famoso “Faz Tudo” do bairro será que ele tem conhecimento técnico sobre os equipamentos e conhece a dinâmica da ação criminosa para orientá-lo e efetuar a instalação de maneira adequada?

A contratação de um profissional ou empresa de segurança eletrônica tem alguns riscos, pois para fazer um projeto adequado ele tem que analisar e conhecer todas as vulnerabilidades do local, a rotina das pessoas que frequentam o espaço, ou seja, são muitas informações que podem lhe ajudar na prevenção como podem ajudar uma pessoa mal intencionada a planejar uma ação criminosa.

Outro fator complicador é que a pessoa que programa sua central de alarme e seu circuito de câmeras tem acesso as senhas dos equipamentos e conseguem acessá-los e até mesmo desativá-los a distância pela internet ou linha telefônica.

Deixando a possível “má fé” de fora e partindo agora pela avaliação de zelo e competência, os equipamentos normalmente vêm com a configuração de fábrica em que o usuário é “Admin” e as senhas, na maioria das vezes, seguem um padrão (admin; 1,2,3,4; nula; 12345; 5,6,7,8; etc) e os criminosos sabem deste detalhe e quando conseguem aproximar do seu equipamento certamente vão tentar estas combinações. Alguns instaladores não têm nem o cuidado de mudar esta senha e deixam o seu sistema totalmente vulnerável.

Então a saída seria a contratação de uma grande empresa? Não necessariamente, pois neste caso você corre o risco de ser apenas mais um na cartela de cliente e neste ramo é necessário um atendimento personalizado. Cada local e cada cliente tem as suas peculiaridades. E ao tratar com uma empresa muito grande você perde o poder de negociação e acaba pagando bem mais caro que o necessário por um serviço.

A melhor estratégia para contratação dos serviços de segurança eletrônica é pesquisar. Procure saber quem são os profissionais, se eles têm antecedentes criminais, dominam o conhecimento técnico sobre os equipamentos, se conhecem a dinâmica da ação criminosa, peça referência de serviços anteriores, procure saber onde residem. Atualmente a reclamação que mais recebo é que o cliente contratou o prestador de serviço, ele começou a instalar e depois sumiu e não atende ao telefone e o cliente não tem mais nenhuma forma de contato, ou seja, vai pagar duas vezes pela execução do serviço.

A segurança eletrônica pode ser um excelente recurso na prevenção e no esclarecimento dos crimes desde que empregada com técnica e responsabilidade. Não adianta existir a imagem da ação criminosa, ela tem que ter uma qualidade que facilite a ação da polícia. Não adianta você ter um sistema de alarme, ele tem que ser confiável e não ficar disparando a noite inteira e incomodando toda a vizinhança. Você precisa do equipamento certo instalado por pessoas competentes e confiáveis.

AGNALDO LIMA DE BARROS,  CEL QOR PMMG

 

Especialista em Segurança Pública

Especialista em Segurança Eletrônica

Consultor de Segurança da Empresa RASTRÔNICA

[email protected]

Facebook Comments

Post a comment