02/04 PALESTRA PÚBLICA GRATÚITA : RELIGIÃO. ONDE TERMINA?

A palestra pública : Religião, onde termina? acontecerá dia 02/04 às 16:00 no IIPC/BH ( Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia ) na rua Padre Marinho 455. 7 andar Santa Efigênia/ BH/ MG.  Tel 3222-0056.

 

“Se Deus quiser, eu vou conseguir esse emprego.”,

“Com Deus me protegendo, nada de mal pode me acontecer.”

 

Frases como essas são ditas todos os dias por milhões de pessoas ao redor do mundo. A crença em que entidades externas, irão nos salvar, recompensar, nos proteger, entre outros, é muito comum no dia a dia das pessoas. Você já parou para pensar no quanto que essa crença de que algo externo é responsável pelos acontecimentos de nossas vidas pode demonstrar uma fuga da responsabilidade pessoal de cada um pelo seu destino? Será que o que acontece na nossa vida diária não é resultado de nossas escolhas e não temos nenhum controle sobre isso?

 

O ser humano, ao nascer, é o mais dependente de todos os outros animais. Quando somos bebês, precisamos de nossos pais para tudo: para nos alimentar, para tomar banho, para trocar nossas roupas. Nessa fase da vida, é preciso de um intermediário, no caso os pais, para garantir a nossa sobrevivência. A medida que crescemos, aprendemos a fazer essas tarefas sozinhos, e cada vez mais, nos tornamos independentes. Porém, ainda precisamos de intermediários para várias outras tarefas que não dominamos: um eletricista, para mexer na parte elétrica da casa, um advogado para tratar de assuntos judiciais, um engenheiro, caso precisamos construir algo. O problema é quando deixamos na mão de outra pessoa papéis e ações que podem e devem ser exercidos por nós mesmos, como por exemplo, o contato com a espiritualidade.

 

É muito comum as pessoas solicitarem a ajuda de gurus ou líderes religiosos para obterem informações de outras dimensões não-físicas ou para alcançarem algum objetivo. Não há problema algum em pedir orientação para aqueles que confiamos. A questão é quando estabelecemos  uma relação de dependência, ou seja, a própria pessoa procura meios para entrar em contato com a realidade não-física, ela sempre necessita de outros para fazer essa ponte. Nesse caso, ela fica a mercê da percepção de outrem, que nem sempre lhe dirá a verdade, ou lhe dirá as informações que receber segundo a sua interpretação pessoal que pode ser cheia de falhas.

 

O ideal é que cada um de nós desenvolva a capacidade de entrar em contato com a realidade extrafísica, e isso é possível através do que a ciência Conscienciologia denomina de parapsiquismo. O parapsiquismo é a condição da pessoa capaz de vivenciar percepções além dos sentidos do corpo físico. A pessoa com um bom desenvolvimento do parapsiquismo, não só tem maior controle sobre sua vida, pois tem acesso a informações que ela própria obteve, mas também tem a oportunidade de ajudar as pessoas ao redor sem gurulatria, através da interassistência.

 

Com o desenvolvimento do parapsiquismo, a pessoa não mais necessita de intermediários que lhe digam o que é certo ou errado, o que deve ou não fazer, ou seja, ela não mais CRÊ, mas sim, procura as verdades por si mesma e as COMPROVA baseadas na sua experiência pessoal.

 

Através do parapsiquismo, percebemos o quanto todas as situações que acontecem nas nossas vidas têm um motivo, e o quanto nós temos responsabilidade por tudo o que acontece. Quando obtemos uma conquista, é porque tivemos esse mérito, e não porque uma entidade externa nos proporcionou. Quando passamos por momentos difíceis, é porque temos algo a aprender. Tudo tem uma explicação que é passível de ser acessada através de nossa autopesquisa. Ao aprofundar na realidade íntima podemos compreender o que acontece nas nossas vidas e os efeitos das decisões tomadas.

 

A palestra RELIGIÃO. ONDE TERMINA? aborda os referidos temas sob a ótica do Paradigma Consciencial, que admite ser possível à consciência ( eu, espírito, ego, alma) se manifestar em múltiplas dimensões, através de múltiplos corpos e por várias vidas sucessivas.Um dos pilares do Paradigma Consciencial é o Princípio da Descrença, que diz:

 

Não acredite em nada, nem mesmo no que lhe informarem aqui.

EXPERIMENTE.

Tenha suas experiências pessoais.

 

Você ainda necessita de intermediários para guiar a sua vida?

Qual o seu nível de vivência com relação as realidades não-físicas, sem a necessidade de outrem?
Jéssica Laudares da Silva é analista de sistemas, pesquisadora e voluntária docente do Instituto Internacional de Conscienciologia e Projeciologia (IIPC).

Facebook Comments

Post a comment