A sexualidade e a qualidade de vida para o idoso

É possível vivermos nossa sexualidade, mesmo na 3ª. Idade?    Vamos por etapas…     O QUE É SEXUALIDADE? A sexualidade é uma necessidade fundamental do ser humano, cuja dinâmica e riqueza deve ser vivida plenamente. Esta nasce, cresce e evolui com o ser humano, sendo por isso necessária para a realização plena, como pessoa, de todo o indivíduo. O amor e prazer que daí se retira não terminam com o envelhecimento. A sexualidade esta em todas as fases da vida: antes do nascimento, quando bebês, em crianças, na adolescência, na juventude, na vida adulta e na maturidade quando envelhecemos a Sexualidade está presente.  A SEXUALIDADE É UNIVERSAL! Nos últimos anos houve uma evolução relativamente ao conceito de sexualidade, percebendo-se que esta não se reduz ao ato sexual ou genital. A Organização Mundial de Saúde define sexualidade como uma energia que nos motiva a procurar amor, contato, ternura, intimidade; que se integra no modo como nos sentimos, movemos, tocamos e somos tocados; é ser-se sensual e ao mesmo tempo sexual; ela influencia pensamentos, sentimentos, ações e interações e, por isso, influencia também a nossa saúde física e mental. É óbvia que uma das grandezas da sexualidade é a relação sexual, porém, ela não se reduz a este ato; ela compreende a necessidade de contato, ternura de intimidade, um conjunto de sentimentos, comportamentos e afetos.

O QUE É SEXO? O sexo é uma palavra que pode ser facilmente usada para distinguir um homem de uma mulher, ou seja, sexo masculino e sexo feminino, no entanto, tal palavra também pode ser usada quando se trata de órgãos sexuais, ou a prática de atividades sexuais. (HOUAISS, 2009).

Além da dificuldade em compreender o conceito abrangente de sexualidade, denota-se uma tendência em desvinculá-la deste período da vida. Como, se de um momento para o outro, esta dimensão desaparecesse, fosse lacrada da vida das pessoas.

Mitos e preconceitos

Segundo Ribeiro (1997), a sexualidade na terceira idade é uma fase de novas descobertas que acrescem a cada dia, cercada de muitos preconceitos, seja por parte dos jovens, dos próprios idosos e de muitos profissionais, inclusive aqueles que atuam na área gerontologia. A sexualidade influencia pensamentos, sentimentos, ações e interações e, por isso, influencia também a nossa saúde física e mental. Os Idosos frequentemente deparam-se com discursos sociais que denunciam estereótipos negativos associados às pessoas de terceira idade, nomeadamente, que não se interessam pela sexualidade Ora, se a sexualidade é uma parte essencial do relacionamento com os outros, particularmente no domínio amoroso, como é possível ponderar que na terceira idade não há espaço para amar, para ser amado, para sentir e para desejar. Esta atitude repressora da sexualidade das pessoas de terceira idade é muito potente nos adultos, principalmente nos familiares, que são um dos fatores que eternizam a sexualidade. A sexualidade está presente em toda a existência do Homem. O corpo com o passar dos anos modifica se e adapta-se. A resposta sexual é diferente nos idosos e nos jovens. É realidade que há diminuição na atividade sexual com o avanço da idade, com vários fatores associados e diferenças interindividuais na prática sexual. Os idosos têm desejo sexual e uma parte deles mantém atividade sexual até uma idade avançada. É necessária uma reeducação sexual.

“Vive-se a sexualidade no olhar, no toque, no mistério, na música, no som da voz, na fantasia  e não apenas na busca objetiva da relação genital”, segundo Rute Bacelar

Colaboração:

magabil-de-barba-mourao

Magli de Barba Mourão

Psicopedagoga e Sexóloga

[email protected]

WhatsApp (o31) 97178-5242

Facebook Comments

Post a comment