GRAVAÇÃO DE IMAGENS EM SISTEMAS DE SEGURANÇA ELETRÔNICA

Em um sistema de segurança, as imagens capturadas pelas câmeras são enviadas para outro equipamento que faz o gerenciamento que é o Gravador digital de Vídeo (DVR) ou Gravador Digital  de Vídeo em Rede (NVR) sendo o segundo destinado as câmeras IP. Estes equipamentos armazenam as imagens em um disco rígido conhecido como HD (Hard Disck).

O que a maioria dos consumidores finais não sabem é que nem todo HD serve para um sistema de câmeras. Hoje temos HDs feitos especialmente para gravação de imagens de sistemas de segurança. Estes equipamentos foram desenvolvidos para trabalhar 24 horas por dia durante os 7 dias da semana.

Os HDs para computadores foram feitos para trabalhar, em média, durante 8 horas por dia e 5 dias por semana, que corresponde ao expediente administrativo de uma empresa. Eles também foram desenvolvidos para gravar prioritariamente dados e não imagens.

Quando um HD de computador é usado em um DVR ou NVR ele terá uma sobrecarga e isto pode diminuir a sua vida útil ou reduzir a sua eficiência gerando falhas técnicas provocando erros de gravação ou até mesmo o travamento. Pode ocorrer um arrombamento ou assalto e quando você for procurar as imagens constatar que elas não foram gravadas adequadamente.

Um cuidado maior deve ser tomado com câmeras que gravam em cartões de memória como, por exemplo, as conhecidas “Babás Eletrônicas”, câmeras escondidas e algumas câmeras de segurança wi-fi (sem fio) Os cartões foram desenvolvidos para uso semelhante aos HDs para computadores ou em sistemas de gravação de imagens esporádicas tais como celulares e filmadoras que gravam imagens, mas por um tempo muito menor de uso.

Quando for usar uma câmera que grave em cartão de memória você deve exigir equipamentos que tenham compatibilidade com DVRs e NVRs, ou seja, você terá as imagens gravadas em redundância no cartão da câmera e no HD do DVR/NVR. É importante, também, exigir que estes dispositivos estejam equipados com HDs próprios para sistemas de segurança eletrônica.

Cuidado, mais uma vez, o barato pode sair caro. Os aventureiros em segurança eletrônica normalmente apresentam orçamentos mais em conta devido ao uso de equipamentos de baixa qualidade e mão de obra sem a devida qualificação.

AGNALDO LIMA DE BARROS

Coronel da Reserva da PMMG

Especialista em Segurança Pública

Especialista em Segurança Eletrônica

Consultor de Segurança da Empresa RASTRÔNICA

Facebook Comments

Post a comment