O RENASCER DO HUMANO

Sinto-me no meio de uma multidão onde o meu grito soa e não atinge ninguém.

Sufocada pelas pressões das buscas pelas conquistas capitalistas, o meu coração bate fraco tentando reagir e não encontra eco. A racionalidade me engole e ele sangra condoído de tristeza pela frieza gélida das outras batidas cada vez mais fortes, insensíveis e concretas. Estou agora num mar de lágrimas sofridas e nada sentidas…
Ainda restam-me forças para reagir a tamanho engano. E os homens continuam buscando longe os bens que em si trazem. E é conjunta a agonia. E é contínua a busca incessante por algo desconhecido, quase inatingível. As almas penam entristecidas por caminhos inúteis, as doenças assolam, as discórdias e desentendimentos nos remetem ao inferno de Dante e Deus chora.

O homem continua cego na insatisfação e, joguetes das paixões sofrem na verdadeira ignorância humana. Tento abrir-lhes os olhos, mas ignoram a própria Natureza que, de exuberante beleza se rebela em vão. Ninguém percebe a lua cheia, a flores perfumadas, os pássaros cantantes. Ninguém percebe a bondade, ninguém se doa ou reparte o pão. E cada um na sua inconsequência segue na obscuridade, iludidos e inebriados com a satisfação efêmera do ego. Deus intervém em prece.

Minha presença amorosa toca e recebo olhares fugazes felizes. E abro o meu peito em chamas de amor na tentativa de queimar as dores e preparar os caminhos para florescerem em verdadeiro sentido de vida. Recebo abraços apertados em pedido de socorro e choro, comovida. E o amor opera milagres, planta sementes em solo estéril que germina em meio ás intempéries. E campos verdes se formam em esperança. E aqui ou acolá uma florzinha brota anunciando a primavera do amor que se instala. E pouco a pouco o amor contamina em festa e a Natureza agradece e apetece. Uma onda de amor varre todas as mazelas e a condição humana renasce e cresce. E neste instante meu coração, em paz se emociona e bate forte em conjunto com os outros numa sinfonia em harmonia. O coração floresce e transborda felicidade.

Texto do livro: “SENSIBILIDADE”- Dra Dulcinea Mattar: Cirurgiã dentista, professora e escritora. Membro da Academia Mineira de Odonologia cadeira nº 3. 997989399 [email protected], Proprietária e dirigente do Hotel Geriátrico Residencial Harmonia.

Facebook Comments

Post a comment