MOMENTO DE ORAÇÃO

É melhor as mãos que doam do que os lábios que oram.

A oração é um ato de fé. Para orar não precisamos de língua nem de lábios, mas de um coração silencioso e vigilante. De um desejo, um pensamento, uma vontade que não duvide, pois as palavras nada valem quando o coração não está presente. Quando o coração está presente na oração é melhor que a língua se esconda atrás dos lábios cerrados.

Não precisamos de um templo para orar. Quem não encontra um templo no coração não encontrará o coração num templo.

A oração se plenifica no local mais profundo do ser onde entramos em contato como o nosso Deus superior. É uma intimidade com o divino.

Os egos franzinos estão cheios de necessidades frívolas.

Os homens cheios de caprichos e vaidades incumbem Deus de muitas e diversas tarefas. Também devemos nos lembrar de nos livrarmos da servidão de deuses que punem, castigam, escravizam, culpam, vigam quando censurados. O único Deus verdadeiro é aquele presente no amor, que nos tendo saciado com Ele mesmo, quer ver-nos saciados para sempre.

Orar não é só pedir, é principalmente agradecer. O reconhecimento é premio de sabedoria.  Gratidão pelos dons que recebemos e possamos doa-los. Gratidão pela existência. Gratidão pelas belezas do Universo que nos rodeiam. Gratidão pela possibilidade de nos tornamos melhores a cada dia.

Orar por compreensão. Orar por amor ao outro. Orar pelo Universo.

Orar, pois, é infundir no seu ser interior, no divino. É afinar o ser para que fique em perfeita sintonia e harmonia com qualquer que seja o objetivo de sua prece.

Deus nos dotou de Sua santidade. E para atingir a santidade todos os desejos, pensamentos, vontades, palavras e sentimentos precisam ser guiados na presença do amor. E assim, na vastidão de nosso coração está a chave que abre todas as portas. A abundancia é direito da humanidade e flui com a unidade.

Orar é conhecer que o Verbo é o AMOR. Orar é apreciar a existência.

Tudo que se faz por amor é um ato de oração. O trabalho com amor é uma expressão de oração. A alegria de viver é uma forma de oração. A compaixão é oração. Distribuir os dons é uma forma de oração.

Orar é deixar o amor fluir e contagiar.

Texto do livro “SENSIBILIDADE”

Dra. Dulcinea Mattar: Cirurgiã dentista membro da Academia Mineira de Odontologia cadeira nº 3, professora e escritora. Proprietária e dirigente do Hotel Geriátrico Residencial Harmonia. www.resdencialharmoniabh.com.br. [email protected]. 997989399.

Facebook Comments

Post a comment