Pilates ajuda a evitar diástase abdominal em grávidas

Gestantes sofrem com desconfortos no corpo que podem ser evitados com fortalecimento da musculatura abdominal

A gravidez promove diversas alterações no corpo da mulher. Com o crescimento do bebê, o útero se expande e consequentemente, os músculos do abdômen se alongam. Ocorre um estiramento dessa musculatura para que haja mais espaço e o útero continue se ampliando. Trata-se de uma separação da linha média (linha alba) dos músculos reto da parede abdominal. Esse afastamento dos músculos do abdômen é chamado diástase abdominal ou diástase dos músculos reto abdominais. Outro fator que contribui para esse afastamento da musculatura é a alteração hormonal. Os hormônios que atuam nesse caso são relaxina, progesterona e estrógeno, que deixam os músculos mais flexíveis. A separação dos feixes do músculo podem ocorrer em região infra umbilical, umbilical e\ou supra umbilical. Consideramos que essa separação é normal até aproximadamente três centímetros. Nesse caso, geralmente a musculatura volta ao normal sem maiores problemas.

Um dos motivos para o desconforto lombar ou pélvico durante a gestação pode ser a diástase abdominal, já que há grande interferência da musculatura do abdômen na estabilização do tronco, comprometendo a postura e tornando a gestante mais predisposta à dor. Existem alguns fatores que predispõem o seu aparecimento: obesidade; gestações múltiplas (gêmeos, trigêmeos); macrossomia fetal (com mais de 4kg); multiparidade (mais de dois partos); aumento do líquido amniótico; flacidez da musculatura abdominal pré-gravídica.

Alguns cuidados devem ser tomados neste caso: exercícios abdominais tradicionais de flexão de tronco são contraindicados, quando realizamos a flexão ocorre um aumento da pressão intra-abdominal. Essa força pode aumentar a separação do músculo, piorar a diástase e evoluir para uma hérnia abdominal ou umbilical, por exemplo. O fortalecimento abdominal deve ser realizado através de exercícios de estabilização de tronco e cintura pélvica, como no caso do pilates. Outra alternativa para fortalecer a musculatura do abdômen sem realizar a flexão do tronco são exercícios hipopressivos, que têm um excelente resultado no pós-parto relacionado a diástase abdominal e também ao fortalecimento do assoalho pélvico.

O pilates é uma prática de atividade física bastante indicada para mulheres em período de gestação pelo fato de estimular movimentos mais controlados e conscientes, não gerar impacto articular e além disso, trabalhar o fortalecimento do CORE (centro de força do corpo que tem função de estabilização postural). Este trabalho é muito importante para prevenir ou curar a diástase abdominal e concomitantemente traz conforto e evita o aparecimento de dores durante a gravidez.

Vale ressaltar que não apenas as grávidas podem sofrer diástase abdominal. Pessoas com maior gordura abdominal e abdômen muito protruso são predispostas. Aconselhamos a todos fazer um fortalecimento abdominal eficiente para que este ganhe força e dê estabilidade postural adequada.

Colaboração: Juliana Cintra Salles

Fisioterapeuta e proprietária do

Estúdio inLOTUS

www.inlotuspilates.com.br

Av. Francisco Sá, 629 – Bairro Prado

3654-1972 98334-7756

Facebook Comments

Post a comment