Você sabe o que significa sarcopenia?

Isioterapeutas do Estúdio inLotus explicam como evitar a sarcopenia e a importância disso.

Com o aumento da expectativa de vida a população idosa tem aumentado e com isso surge a necessidade de conscientização da população sobre uma doença : a sarcopenia. Consiste em um importante problema que acomete os indivíduos ao longo dos anos e que é potencializada por fatores relacionados a doenças ou a estilo de vida inadequado. Atualmente, a definição de sarcopenia engloba além da redução de massa muscular, a redução de força e a piora do desempenho físico, como relatado no consenso publicado no ano de 2010 pelo Grupo Europeu de Trabalho com Pessoas Idosas. Este documento definiu que a redução apenas de massa muscular é considerado como pré-sarcopenia. Quando existe, associada à redução da massa muscular, a dimuição de força ou desempenho físico, considera-se como sarcopenia moderada, sendo que a sarcopenia severa ocorre quando há alteração nas três variáveis.

A sarcopenia pode ter origem primária quando associada somente ao processo de envelhecimento e secundária quando está relacionada a outros fatores desencadeantes. Dentre estes, é possível citar a inatividade física que inclui situações de repouso prolongado, estilo de vida sedentário, descondicionamento ou condições de gravidade zero. Outro importante fator está ligado a nutrição, como ingestão inadequada de energia e proteína, presente em desordens gastrointestinais (mal absorção) ou uso de medicações que causam anorexia. Diversas doenças associadas a falência orgânica avançada, distúrbios inflamatórios e endócrinos também podem promover um efeito catabólico, com consequente maior degradação proteíca. Dentre algumas doenças que podem estar associadas a sarcopenia encontram-se a maioria das doenças crônicas, incluindo a insuficiência renal crônica, doença pulmonar obstrutiva crônica, câncer, infecções e insuficiência cardíaca congestiva.

Dados relatam que a prevalência de sarcopenia no mundo varia entre 3 a 30% em idosos, sendo que, em um estudo realizado no ano de 2012 com brasileiros acima de 60 anos, foi identificado que 36,1% dos participantes da pesquisa possuíam massa muscular reduzida. Dentre as formas de tratamento para sarcopenia estão a prática de exercício físico, nutrição e reposição hormonal, as quais estão descritas a seguir: a prática de exercícios físicos é uma das formas para amenizar os efeitos catabólicos (de degradação) da inatividade e a consequente sarcopenia. Dentre os diferentes tipos de exercício, o treino de força promove um grande efeito sobre o aumento da massa e força muscular. Os exercícios aeróbicos também são importantes para evitar a sarcopenia mas não substituem um treinamento de força da musculatura para produção significativa de massa muscular.

A desnutrição e o risco de desnutrição são, em proporções distintas, consequências da deficiência de energia e proteínas capaz de causar efeitos variados na composição corporal. A ausência de adequado suporte nutricional ativa o sistema imune e aumenta a síntese de citocinas inflamatórias, capazes de ampliar as condições crônicas catabólicas, reduzindo a massa muscular e, consequentemente, afetando suas funções, o que explica sua associação com sarcopenia. “A quantidade e a qualidade de proteína ingerida nas refeições é um aspecto fundamental no controle da sarcopenia. Isso porque, em comparação com os mais jovens, os idosos necessitam de maior quantidade desse nutriente para promover o adequado estímulo à síntese proteica muscular”  relata a nossa nutricionista Fabiana Leonel.

A reposição de testosterona (hormônio) em idosos parece aumentar modestamente a massa muscular e a força nos membros superiores, existindo uma relação dose-efeito, sendo que altas doses aceleraram a ocorrência de câncer de próstata.

Pensando em todo esse contexto, a nossa fisioterapeuta clíncia Isabella Campolina, desenvolveu um projeto que busca a promoção de saúde para o idoso, focando na força muscular, equilíbrio e marcha, mobilidade e flexibilidade com o atendimento totalmente monitorado e individualizado para as necessidades individuais de cada pessoa. Além disso o pilates, yoga e treinamento funcional que são também modalidades disponíveis no estúdio ajudam para esse propósito.

Colaboração: Juliana Cintra Salles
Fisioterapeuta e proprietária do
Estúdio inLOTUS
www.inlotuspilates.com.br
Av. Francisco Sá, 629 – Bairro Prado
3654-1972 /  98334-7756

Facebook Comments

Post a comment