Sementes para viver melhor!

Continuamos a abordar o tema dos grãos e seus benefícios. Caso tenha perdido a última coluna, consulte nossa edição virtual de setembro! 

Quais sementes mais comuns podemos incluir na alimentação?
Chia: fonte de ômega 3 e 6, fibras, proteína, vitaminas do complexo B e minerais (cálcio, magnésio, fósforo, zinco, potássio e cobre). Auxilia no controle de peso e da saciedade, regulação de colesterol, funcionamento intestinal, tem ação anti-inflamatória e antioxidante, traz proteção do sistema cardiovascular e nervoso.
Linhaça: rica em proteínas, fibras, ácidos graxos (ômega 3 e 6), vitaminas C, E e complexo B, minerais (cálcio, fósforo, potássio e magnésio). Proteção cardiovascular, auxilia no sistema ocular, imunológico e digestivo, regula a pressão arterial, auxilia no controle da glicemia e saciedade, antioxidante, reduz colesterol, auxilia no equilíbrio hormonal (por conter fitoesterol e lignanas) e tem efeito protetor contra osteoporose e câncer de mama.

Abóbora: fonte de proteína, fibras, minerais (potássio, selênio, zinco, fósforo, manganês e ferro), vitaminas do complexo B e vitamina A. São fontes de triptofano, um aminoácido que, juntamente com a vitamina B3, a niacina (ou niacinamida) e o magnésio, produz a serotonina – o que torna essa semente um ótimo aliado para diminuir ansiedade e melhorar o sono. Também auxilia no sistema imunológico, tem efeito antimicrobiano, proteção cardiovascular e articular, controle do colesterol, da insulina, da função sexual masculina (por conter alto teor de zinco), traz benefícios para a saúde da próstata e auxilia na redução de toxinas do corpo.
Girassol: fonte de proteínas, fibras, ômega 6 e 9, vitamina E e do complexo B, minerais (cálcio, zinco, magnésio, ferro, fósforo, potássio). Por conter também magnésio e triptofano, as sementes aliviam o estresse e auxiliam a memória. Estudos têm demonstrado que essa semente também é fonte de fitoquímicos como betaína, lignina, ácidos fenólicos e arginina. Auxilia também no tratamento digestivo e cardiovascular, é boa para a recuperação muscular após o exercício, regula o colesterol e glicemia, retarda envelhecimento por ser antioxidante e  pode amenizar sintomas da menopausa por conter fitosteróis.

Gergelim: rico em cálcio, ferro, magnésio, vitamina B1, proteína e triptofano. Ajuda nos sintomas da TPM (principalmente cólica e depressão). Possui pequena quantidade de lignana, auxiliando na modulação de estrógeno. É importante para saúde da mulher (principalmente dos ovários de mulheres em idade fértil), fortalecimento ósseo, contrações musculares e cognição. Auxilia também na redução do colesterol e glicemia.

Colaboração:
Roberto El Check – personalyogabh.com.br 
(31) 98876-7090 – BH – (MG)

Facebook Comments

Post a comment